Pendentes para pé-direito duplo {Prato Principal} por Mariana

Olá, pessoal! Gostaram da promoção de ontem? Bacana, né? Não deixem de participar. Oportunidades como essa, de participarmos de um Fórum de arquitetura na nossa cidade, são poucas, por isso temos de comparecer e de nos atualizar!

Hoje resolvi compartilhar com vocês uma pesquisa que estou fazendo para um cliente… E a minha pergunta no momento é: qual o melhor pendente a ser utilizado quando se tem um pé-direito duplo na sala de jantar? Achei algumas soluções na internet, que vão desde modelos mais clássicos a mais modernos. Vem ver e me ajudar a decidir!

LUMINÁRIAS CLÁSSICAS Para começar, achei essas duas imagens que retratam bem o que eles estão querendo: luminárias pendentes clássicas, que dão um tom aristocrático à ambientação contemporânea. Considero uma boa opção, só não posso errar no tamanho. Vocês percebem que para “preencher” um pé-direito duplo são necessários muitos braços e uma altura final da peça considerável? Acho que um diâmetro legal seria por volta de 80cm a 1,00m…

Imagens via Portal Casa e Casamix.net.

PENDENTES EM FORMA DE BOLA

Nesse contexto de pé-direito alto, ou duplo, esta é uma solução que agrada visualmente a muitas pessoas. Além disso, podemos utilizar mais de um pendente, em forma de composição, como na primeira imagem. Eu gosto muito dessa ideia, só tenho que achar alguma luminária no mercado que seja bem acabada, afinal estamos falando de uma sala de jantar, não é mesmo?

Imagens via Assim eu gosto e Brincar de kazinha.

LUMINÁRIA COM ASSINATURA

Esta ideia eu achei sensacional para quem tem o teto lá em cima. A luminária em questão possui desenho inspirado na obra de Alexander Calder, o rei dos móbiles. Essa peça é incontestável. Linda, leve, elegante!

Imagem via Casadaidea.

LUMINÁRIA EM FORMA DE CASCATAEssas luminárias são lindas e na minha opinião unem o clássico, no cristal, ao contemporâneo, no formato. Confesso que é uma das minhas opções preferidas.

Imagens via Cepolina e Casa Vogue.

LUMINÁRIAS CONTEMPORÂNEASTodas as outras sobre as quais falei aqui são contemporâneas, mas essas exprimem mais o que vemos nas lojas por aí. São peças charmosas, imponentes e discretas ao mesmo tempo. O que me atrai nelas é a jovialidade que elas trazem em seu desenho. E os nossos clientes são jovens! Acho que a ambientação, nesse sentido, ficaria muito interessante também, pois retrataria de certa forma os donos da casa…

Imagens via Casamix.net e In and out decor.

E aí, gente? Qual escolher? Até agora estou entre três: as clássicas, as em cascata e as últimas desse post, mas minha peregrinação pelas lojas da cidade está só começando. Se alguém quiser me ajudar, estou aceitando sugestões!

Imagem destacada.

FacebookPinterestTwitterGoogle+

{INSTAGRAM} @almocodesexta

{YOUTUBE} @almocodesexta

Um pouco sobre a Bauhaus {Prato Principal} por Mariana

Se você é arquiteto, alguma coisa sabe sobre o que vamos falar hoje. Se não, aproveite e fique por dentro deste que foi um dos mais importantes capítulos da história das artes e da arquitetura mundial. A Bauhaus foi uma escola alemã que, através de seu fundador, o arquiteto Walter Gropius, tentou dissolver as barreiras do fazer artístico, assumindo a postura de que arte e artesanato podem seguir juntos, num aprendizado mútuo e sem hierarquias, sempre considerando o desenvolvimento do design e da arquitetura.

Imagem via ArtHistory

A proposta de Gropius para a Bauhaus deixa entrever a dimensão estética, social e política de seu projeto. Trata-se de formar novas gerações de artistas de acordo com um ideal de sociedade civilizada e democrática, em que não há hierarquias, mas somente funções complementares. O trabalho conjunto, na escola e na vida, possibilitaria não apenas o desenvolvimento das consciências criadoras e das habilidades manuais como também um contato efetivo com a sociedade urbano-industrial moderna e seus novos meios de produção. (via Itaucultural)

Como elementos mais expressivos dessa escola é possível citar a atenção às características específicas dos diferentes materiais como madeira, vidro, metal e outros; a ideia de que a forma artística deriva de um método, ou problema, previamente definido o que leva à correspondência entre forma e função; e o recurso das novas tecnologias. (via Itaucultural)

O legado da Bauhaus, criada em 1919, pode ser identificado até os dias de hoje em muitas ambientações.

HOUSE CARACAS eclectic living room

A cadeira Wassily, desenvolvida por Marcel Breuer em 1925, é um ícone da Bauhaus. Em aço tubular, o móvel foi parcialmente inspirado no guidão de aço de uma bicicleta. Originalmente, a cadeira foi apresentada em branco, preto ou em tecido de malha de arame. Essa versão atualizada que vemos acima se encaixou perfeitamente na decoração jovem e despojada. (Via Houzz)

Acima, a Wassily Chair em sua versão original.

Além dela, Marcel Breuer criou outros produtos em aço tubular, como mesas e armários. E a escola produziu não só móveis, mas outros objetos como luminárias, tapetes, cartazes e papeis de parede.

Para saber mais sobre a Bauhaus, que é considerada a primeira escola de design do mundo, clique aqui.

Imagem destacada

FacebookPinterestTwitterGoogle+

Zaha Hadid – design para as mulheres {Prato Principal} por Mariana

Hoje, 8 de março, é dia de se inspirar em exemplos de mulheres bem sucedidas e que admiramos. Para tanto escolhemos homenagear Zaha Hadid, arquiteta iraquiana cujo trabalho intenso, em todas as áreas da arquitetura e do design, nos emociona.

E para agradar a todos, mas principalmente às mulheres, mostramos aqui o que Zaha Hadid, única arquiteta a ganhar o Prêmio Pritzker em 2004 – espécie de Prêmio Nobel da arquitetura, desenvolveu para marcas consagradas de bolsas e sapatos.

LOUIS VUITTON

O que pensar sobre este exclusivo protótipo de bolsa-sacola da Louis Vuitton, com assinatura Zaha Hadid? Não quero nem imaginar o quanto ela custaria… Bonita e feminina assim, mais parece uma escultura, não acham?

MELISSA

Para a Melissa, Zaha desenvolveu este sapato de design divertido e ao mesmo tempo arrojado. O que vocês acharam?

Eu acho um espetáculo. O desenho é fluido, orgânico e evoca a ideia de movimento. Além disso, deve ficar uma graça no pé.

LACOSTE

Para a Lacoste, a arquiteta desenhou um tênis unissex. Sua forma envolvente se adequa perfeitamente ao pé e à perna do usuário. A marca fabricou apenas 1000 pares da versão mais elaborada e 10000 da versão mais simples.

Gostaram? Em breve traremos mais posts falando sobre a arquitetura dessa incrível mulher. É só esperar!

A imagem em destaque de hoje apresenta o detalhe de um vaso de flores, também criação de Zaha Hadid, e assim como todas as outras figuras do post, foi retirada daqui.

 

FacebookPinterestTwitterGoogle+